Empresas e entidades da Namíbia estiveram no Centro de Congressos de Lisboa a realizar contactos bilaterais

Foi no âmbito do Business Fórum Namíbia, no dia 29 de Junho, pelas 10h00, que estiveram reunidas no Centro de Congresso de Lisboa mais de oitenta pessoas, entre empresários e entidades oficiais da Namíbia, que viajaram a Portugal para o efeito. e empresários portugueses com interesse em realizar contactos bilaterais entre os dois países.

Presentes nesta sessão estiveram Mrs. Nangula Frieda Ithete, Embaixadora da República da Namíbia para PortugalLucia Iipumbu, Secretária de Estado da Industrialização, Comércio e Desenvolvimento da Namíbia, Bonaventura Hinda, Conselheira da Embaixada da República da Namíbia em Portugal e uma delegação de empresários e outras responsáveis de entidades do país, entre os quais Johanna Shiweda, em representação da Câmara do Comércio e Indústria da Namíbia e Matthias Lemcke, manager do Namibia Tourism Board Regional, ambos com intervenções directas no fórum. A TAAG – Linhas Aéreas de Angola, patrocinadora do fórum, também esteve presente a apresentar as ligações que faz desde Angola até à Namíbia.

Em representação de Portugal, para além da Fundação AIP, na figura do Director-Adjunto da Lisboa FCE, Dr. Pedro Braga, também a aicep Portugal Global esteve presente, com uma intervenção do Dr. Fernando Quintas, Senior Market Manager. O discurso de encerramento ficou a cargo de Rogério Tavares, Cônsul Honorário da República da Namíbia em Portugal.

Bonaventura Hinda, Conselheira da Embaixada da República da Namíbia em Portugal, apresentou o país como tendo uma posição geo-estratégica relevante: é uma porta de entrada para o Oceano Atlântico e faz fronteira com países de destaque no continente africano como Angola e África do Sul e também o Botswana e a Zâmbia.

Os sectores prioritários de investimento nos próximos anos no país são a agricultura e a pesca, a indústria manufactureira, os transportes, o turismo, a extracção mineral e também a economia do mar. Sectores só passíveis de um maior desenvolvimento com o investimento na educação, na construção de melhores infra-estruturas, desenvolvimento das novas tecnologias, do tecido financeiro e da investigação e inovação.

Fonte: Embaixada da Namíbia

Resumindo, estes são os motivos por que se deve investir na Namíbia:

  • Posicionamento geográfico privilegiado
  • Relacionamento privilegiado ao nível da sub-região
  • Oportunidades de negócio em diversos sectores
  • Relação comercial com as maiores economias da as maiores economias da sub-região (Angola e África do Sul)
  • Estabilidade económica e política
  • Infraestruturas desenvolvidas
  • Ambiente laboral estável

A Namíbia tem procurado nos últimos anos apostar na atracção de investimento estrangeiro, oferecendo condições especiais aos empresários que tenham interesse no país:

Fonte: Banco Atlântico

De Portugal, a Namíbia importa essencialmente estes produtos: azeite, cereais, vinho, chocolates, têxteis, estruturas de ferro e aço, máquinas, peças para automóveis e redes de pesca.

Sobre o porquê de os empresários namibianos investirem em Portugal, a aicep Portugal Global, na figura de Fernando Quintas, considera que Portugal é um país que, actualmente, prima pela sua competitividade, factor notório pelos recentes investimentos que têm sido feitos no nosso país.

Terminada a sessão, as empresas portuguesas e namibianas presentes iniciaram as reuniões B2B. Ao todo, realizaram-se mais de 50 reuniões pré-agendadas que visaram o estabelecimento de contactos bilaterais entre ambos os países.

 

Aqui disponibilizamos as apresentações deste fórum:

2019-01-07T18:11:09+00:00