XVI Seminário Brasil-Portugal: Internacionalização de Empresas

No dia 8 de novembro, decorre no ISEG o “XVI Seminário Brasil-Portugal: Internacionalização de Empresas”, pelas 9h00, no Auditório 2 (Ed. Quelhas, 2º piso).

Este seminário é organizado no âmbito do protocolo de cooperação entre o ISEG e a UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais e traz a debate o tema da Inteligência Artifical e o Futuro do Trabalho.

Entrada gratuita, sujeita a inscrição: http://www.tinyurl.com/seminariobrasilportugal.

Mais informações: fferreira@iseg.ulisboa.pt


PROGRAMA  (download pdf)


08:30 – 09:00 Recepção e Acolhimento

09:00 – 09:30 Sessão de Abertura
Clara Raposo, Dean ISEG
Joaquim Ramos Silva, ISEG/ULisboa
Allan Claudius Queiroz Barbosa, FACE/UFMG

09:30 – 10:30
A REVOLUÇÃO DIGITAL: TECNOLOGIAS, DESAFIOS E OPORTUNIDADES
José Manuel Felix Ribeiro, Consultor da Fundação Calouste Gulbenkian

10:30 – 11:00 Café e Conversa

11:00 – 12:30 Painel 1
Indústria 4.0: Impacto da Inteligência Artificial na Economia e na Sociedade – Novos cenários
Maria Martins, Quidgest – Desafios e oportunidades para o tecido empresarial português com a ratificação do Acordo EU-Mercosul
André Magrinho, Fundação AIP – Inteligência artificial, automação e transformação digital: Da Indústria 4.0 à Sociedade 5.0
Alexandro Romeira,D2i, São Paulo – A questão da privacidade dos dados e a Nova Economia
Moderador: António Mendonça, ISEG ULisboa

12:30 – 14:30 Almoço

14:30 – 15:30
Fragmentos do Futuro com a Inteligência Artificial
Alexandre Del Rey, I2AI, São Paulo, Brasil

15:30 – 17:00 Painel 2
A importância dos Recursos Humanos – Novas Competências e gestão de talentos face à inovação tecnológica
Grace Ghesti , UNB – Formação de recursos humanos para atuação em Núcleos de Inovação Tecnológica
Rosinei de Sousa Oliveira, UFOPA – Educação 4.0: O elo perdido entre universidade e a indústria
Fernando Domingues Jr., I2AI, São Paulo – As competências do futuro
Moderador: Jorge Gomes, ISEG ULisboa

17:00 – 17:30 Café e Conversa

17:30 – 19:30 Painel 3
Mudanças de Paradigma na Gestão/Educação: as novas formas de aprendizagem
Dionisio Gava, Centro Paula Souza – Futuro do Trabalho – os desafios da gestão
Thiago Novelli, I2AI, Alemanha – Lifelong Learning e as novas formas de aprendizagem
Claudia Morgado, UFRJ – Inovação na educação em engenharia na era da transformação digital e da sustentabilidade
Hugo Muller, UFRGS – A formação de estratégias organizacionais a partir das capacidades dinâmicas
Moderador: António Palma dos Reis, ISEG ULisboa

19:30 Sessão de Encerramento
Um oceano que nos une – a caminho de duas décadas: Balanço, Perspectivas e Preparação do XVII Seminário
Allan Claudius Queiroz Barbosa, FACE UFMG
Joaquim Ramos Silva, ISEG ULisboa
Roberto Sbragia, FEA/USP
Claudia Bitencourt, UNISINOS
Cristina Maria Quintella, UFBA e Coordenadora Académica Nacional do PROFNIT
Ricardo Carneiro, UNICAMP
Filomena Ferreira, ISEG ULisboa  

XVI Seminário Brasil-Portugal: Internacionalização de Empresas2019-10-30T12:50:43+00:00

Presidente da Namíbia em Portugal no âmbito de fórum de negócios co-organizado pela Fundação AIP fala num país africano “em fase de emancipação económica”

A sessão inaugural do Fórum de Negócios com a presença do Presidente da República da Namíbia (3º a contar da direita)

O Presidente da República da Namíbia esteve esta manhã, dia 8 de Abril, no Centro de Congressos de Lisboa, a participar no Fórum de Negócios “Como Fazer Negócios na Namíbia”, que juntou empresários portugueses e namibianos com vista ao estreitamento dos laços comerciais entre ambos os países.

A participação desta delegação namibiana, chefiada pelo Presidente da República, ministros e empresários, teve como principais objectivos, enumerados pela Embaixada da Namíbia: aumentar o conhecimento das oportunidades de negócios no país, aumentar o comércio bilateral entre Portugal e Namíbia e procurar parcerias de negócios.

O Presidente namibiano, Hage G. Geingob, enalteceu o estado democrático da Namíbia, um país com uma localização geográfica privilegiada e que tem feito uma aposta muito grande no desenvolvimento dos seus sectores predominantes, nomeadamente minas, agricultura, infraestruturas portuárias, etc. A Namíbia, reiterou, depois de um período de conquista de paz e prosperidade fulcral para o desenvolvimento do país, começou nos últimos anos a procurar a “emancipação económica” digna de um país “transparente e sem corrupção”.

“Como Fazer Negócios na Namíbia” contou com uma sessão inaugural presidida pelo Presidente da Namíbia, Hage G. Geingob, por Pedro Braga, Adjunto do Presidente da Fundação AIP – em representação do Presidente da Fundação AIP – por Tjekero Tweya, Ministro da Indústria e do Comércio e Conceição Lucas, do Banco Atlântico Europa, seguindo-se reuniões B2B entre empresários portugueses e a delegação composta por 11 empresas namibianas, em Portugal à procura de parcerias e novas oportunidades de concretizar negócios.

Sobre os sectores com maiores oportunidades, as tecnologias de comunicação foram particularmente abordadas. O Ministro da Indústria e do Comércio, Tjekero Tweya, confessou que os progressos a nível de Internet carecem de mais conhecimento de empresas privadas, considerando que este sector tem, na actualidade “muitas oportunidades de negócio”. “Estamos num processo de conseguir fazer chegar Internet a todas as áreas da Namíbia, não só aos centros de negócios, às escolas e aos hospitais, mas a todo o território”.

Pedro Braga, Adjunto do Presidente da Fundação AIP, reforçou a importância destes Fóruns para ajudar empresas portuguesas no seu processo de internacionalização, em particular com a Namíbia, um país que, na sua opinião, “merece toda a apreciação devido à sua história e ao progresso político, económico e social”, tornando-o num país “onde se deve investir”. O reforçar das relações bilaterais e de comércio entre ambos os países é um objectivo que a Fundação AIP está “determinada” a concretizar, concluiu.

Já Conceição Lucas, em representação do Banco Atlântico Europa, abordou a sua experiência enquanto o “único banco europeu com uma sucursal aberta na Namíbia”, corroborando a ideia de que este país é, de facto, um bom país para se investir. Sobre o “Como Fazer Negócios na Namíbia”, Conceição Lucas elogiou a organização de iniciativas do género, que “contribuem para enriquecer as relações económicas”.

Presidente da Namíbia em Portugal no âmbito de fórum de negócios co-organizado pela Fundação AIP fala num país africano “em fase de emancipação económica”2019-04-09T09:20:44+00:00

Conferência final de apresentação da Carta para a Promoção do Diálogo Social no Sul do Mediterrâneo

No âmbito do projeto SOLID-South Med Social Dialogue, que visa promover o diálogo social tripartido, envolvendo empregadores, sindicatos, governos e instituições da sociedade civil, de âmbito empresarial, onde a Fundação AIP se integra e, também enquanto membro da BUSINESSMED, realizou-se nas instalações do Comité Económico e Social Europeu em Bruxelas, a Conferência final de apresentação da  Carta para a Promoção do Diálogo Social no Sul do Mediterrâneo. (more…)

Conferência final de apresentação da Carta para a Promoção do Diálogo Social no Sul do Mediterrâneo2019-03-18T16:32:14+00:00

“De Olivença vê-se o mar”

“De Olivença vê-se o mar” na UCCLA

Por ocasião da apresentação da proposta do município de Olivença para se tornar associado da UCCLA, vai ter lugar no dia 19 de fevereiro, a partir das 10 horas, na sede da organização, um importante evento de intercâmbio empresarial “De Olivença vê-se o mar”.
É um evento carregado de simbolismo e significado tendo em atenção as relações históricas existentes entre Portugal e a cidade de Olivença, que sempre aproximaram os oliventinos e os portugueses, com mais de um milhar de oliventinos a terem hoje uma dupla nacionalidade, a portuguesa e a espanhola, porque a legislação espanhola o permite aos que a requeiram.
À semelhança do que sucede com outras cidades ou regiões de outros países, como Macau ou Santiago de Compostela, há muito associadas da UCCLA e que os estatutos desta permitem, é com muita honra e reconhecimento que vemos agora Olivença propor a sua adesão.
A proximidade das relações existentes, a todos os níveis, e as referências históricas de Portugal, que a cidade de Olivença ostenta em muitos dos seus monumentos, ruas e instituições públicas e privadas, são elementos que, com a adesão do município à UCCLA, reforçarão ainda mais a proximidade, incentivando os fluxos turísticos e criando condições para o intercâmbio de Olivença com os países de língua oficial portuguesa.
“De Olivença vê-se o mar”2019-02-15T15:36:18+00:00

Convite para Workshop “A Conduta Empresarial Responsável Enquanto Vantagem Competitiva”

Workshop

A Direção-Geral das Atividades Económicas está a organizar um Workshop sobre “Conduta Empresarial Responsável”, que se vai realizar no próximo dia 11 de dezembro, pelas 9:30, nas instalações da Direção-Geral das Atividades Económicas.

O evento irá abordar diversas temáticas e contará com os respetivos especialistas nas matérias.

(more…)

Convite para Workshop “A Conduta Empresarial Responsável Enquanto Vantagem Competitiva”2019-01-07T18:11:06+00:00