About Paula Tomé

This author has not yet filled in any details.
So far Paula Tomé has created 44 blog entries.

O Presidente da Fundação AIP, recebeu S. E. o Embaixador do México

O Presidente da Fundação AIP, Comendador Jorge Rocha de Matos, recebeu das instalações da Fundação AIP, no dia 9 de julho, S.E. o Embaixador do México, Alfredo Pérez Bravo, que termina as suas funções em Portugal.

Na circunstância o presidente da Fundação AIP enalteceu e agradeceu a estreita cooperação mantida entre a Fundação AIP e a Embaixada do México.

O Presidente da Fundação AIP, recebeu S. E. o Embaixador do México2019-07-11T16:41:07+00:00

Empoderamento Humano – Do Estigma e da Vulnerabilidade ao Tratamento da Dependência

Dianova Portugal – membro da Rede RSO PT – lança, no dia 26 de junho, por ocasião do Dia Internacional Contra o Abuso de Drogas e o Tráfico Ilícito, uma nova campanha de consciencialização social, que está interrelacionada com a temática da igualdade de género.
#EmpoderamentoHumano.

Mais informações disponíveis em:
https://dianova.pt/estigma-tratamento-dependencia/?fbclid=IwAR0Kvyi5KMaN9X-Cm91vDH5NnVA9SH78xvs5wxiVd-Hl6j6aXGHveqoWkHA

Empoderamento Humano – Do Estigma e da Vulnerabilidade ao Tratamento da Dependência2019-06-25T13:17:58+00:00

Seminário “Responsabilidade Social Empresarial e Conciliação”

   

A AIRV – Associação Empreasrial da Região de Viseu, tem a honra de convidar V. Exa para o Seminário “Responsabilidade Social Empresarial e Conciliação” que decorrerá no dia 22 de março de 2019, com início às 9h30, no Edifício Expobeiras, em Viseu.

A participação é gratuita, sujeita a inscrição através do formulário aqui

Seminário “Responsabilidade Social Empresarial e Conciliação”2019-03-18T16:31:50+00:00

Conferência final de apresentação da Carta para a Promoção do Diálogo Social no Sul do Mediterrâneo

No âmbito do projeto SOLID-South Med Social Dialogue, que visa promover o diálogo social tripartido, envolvendo empregadores, sindicatos, governos e instituições da sociedade civil, de âmbito empresarial, onde a Fundação AIP se integra e, também enquanto membro da BUSINESSMED, realizou-se nas instalações do Comité Económico e Social Europeu em Bruxelas, a Conferência final de apresentação da  Carta para a Promoção do Diálogo Social no Sul do Mediterrâneo. (mais…)

Conferência final de apresentação da Carta para a Promoção do Diálogo Social no Sul do Mediterrâneo2019-03-18T16:32:14+00:00

“De Olivença vê-se o mar”

“De Olivença vê-se o mar” na UCCLA

Por ocasião da apresentação da proposta do município de Olivença para se tornar associado da UCCLA, vai ter lugar no dia 19 de fevereiro, a partir das 10 horas, na sede da organização, um importante evento de intercâmbio empresarial “De Olivença vê-se o mar”.
É um evento carregado de simbolismo e significado tendo em atenção as relações históricas existentes entre Portugal e a cidade de Olivença, que sempre aproximaram os oliventinos e os portugueses, com mais de um milhar de oliventinos a terem hoje uma dupla nacionalidade, a portuguesa e a espanhola, porque a legislação espanhola o permite aos que a requeiram.
À semelhança do que sucede com outras cidades ou regiões de outros países, como Macau ou Santiago de Compostela, há muito associadas da UCCLA e que os estatutos desta permitem, é com muita honra e reconhecimento que vemos agora Olivença propor a sua adesão.
A proximidade das relações existentes, a todos os níveis, e as referências históricas de Portugal, que a cidade de Olivença ostenta em muitos dos seus monumentos, ruas e instituições públicas e privadas, são elementos que, com a adesão do município à UCCLA, reforçarão ainda mais a proximidade, incentivando os fluxos turísticos e criando condições para o intercâmbio de Olivença com os países de língua oficial portuguesa.
“De Olivença vê-se o mar”2019-02-15T15:36:18+00:00

Convite para Workshop “A Conduta Empresarial Responsável Enquanto Vantagem Competitiva”

Workshop

A Direção-Geral das Atividades Económicas está a organizar um Workshop sobre “Conduta Empresarial Responsável”, que se vai realizar no próximo dia 11 de dezembro, pelas 9:30, nas instalações da Direção-Geral das Atividades Económicas.

O evento irá abordar diversas temáticas e contará com os respetivos especialistas nas matérias.

(mais…)

Convite para Workshop “A Conduta Empresarial Responsável Enquanto Vantagem Competitiva”2019-01-07T18:11:06+00:00

Brexit: acordo? Consequências para Portugal

Mesa-Redonda, dia 29 de novembro, entre as 10H00 e as 12H00, na Fundação AIP.

 

Localização

Auditório da Fundação AIP

Tv. da Guarda, 3

Lisboa (Junqueira)

 

Brexit: acordo? Consequências para Portugal2019-01-07T18:11:06+00:00

UCCLA vai acolher 2.ª edição do Curso Livre da História de Angola

2.ª edição do Curso Livre da História de Angola

Pela segunda vez, a Mercado de Letras Editores e a UCCLA estão a organizar a 2.ª edição do Curso Livre História de Angola. A exigência e a inquietude do seu conhecimento fizeram da 1.ª edição deste curso um enorme sucesso.

Em 2018, entre os meses de abril e julho, ao longo de 14 sessões, numa iniciativa que se mostrou inédita, tentámos contribuir para o entendimento e aprofundamento do conhecimento da realidade política, geográfica e cultural de Angola. Findo o mesmo, a única observação referida pelos alunos relacionava-se com a sua duração – o curso deveria ter uma maior duração, de forma a que o conhecimento sobre a história de Angola fosse mais aprofundado.

Dando azo a essa exigência, num esforço conjunto, e de novo, com a coordenação do Professor Doutor Alberto Oliveira Pinto, a 2.ª edição do Curso Livre História de Angola, prolongar-se-á pelos meses de Janeiro a Julho de 2019, ao longo de 26 sessões, que decorrerão às terças-feiras de cada semana, às 18 horas.

À semelhança do que aconteceu na 1.ª edição, também nesta edição, serão convidadas uma série de individualidades cujos nomes serão anunciados tão breve quanto possível.

 

Plano de Estudos da 2.ª edição do Curso Livre História de Angola

As condições de inscrição encontram-se disponíveis no link https://goo.gl/forms/JrXJ26RYtkzJHkNm2  

Qualquer questão poderá ser endereçada para o email cursohistoriaangola@gmail.com

Nota biográfica do Professor Doutor Alberto Oliveira Pinto:

Alberto [Manuel Duarte de] Oliveira Pinto nasceu em Luanda, Angola, a 8 de janeiro de 1962. Licenciou-se em Direito pela Universidade Católica Portuguesa, em 1986. É Doutorado (2010) e Mestre (2004) em História de África pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde colaborou como docente no Departamento de História. Lecionou igualmente noutras universidades portuguesas. Presentemente é Investigador do Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e do CEsA – Centro de Estudos sobre África e do Desenvolvimento do Instituto Superior de Economia e Gestão.

Como ficcionista publicou diversos romances e é autor de múltiplos livros de ensaio sobre a história de Angola, com destaque para História de Angola. Da Pré História ao Início do Século XXI (2016), primeira experiência no género em 40 anos de Independência de Angola, cuja 3.ª edição se prevê para breve.

Em 2016, foi presidente do Júri do Prémio Internacional em Investigação Histórica Agostinho Neto da Fundação António Agostinho Neto (FAAN). No mesmo ano foi, pela segunda vez, vencedor do Prémio Sagrada Esperança 2016 com o livro de ensaios Imaginários da História Cultural de Angola.

Em 2018, coordenou o Curso Livre História de Angola/UCCLA/Mercado de Letras Editores, iniciativa igualmente inédita e com enorme adesão, do qual se prepara uma nova edição mais desenvolvida.

 

Morada: 

Avenida da Índia, n.º 110 (entre a Cordoaria Nacional e o Museu Nacional dos Coches), em Lisboa

Autocarros: 714, 727 e 751 – Altinho, e 728 e 729 – Belém

Comboio: Estação de Belém

Elétrico: 15E – Altinho 

Coordenadas GPS: 38°41’46.9″N 9°11’52.4″W

 

 

UCCLA vai acolher 2.ª edição do Curso Livre da História de Angola2018-11-23T12:45:20+00:00

10ª Convenção da RSO PT – Qualificação, Transformação Digital e Sustentabilidade

Os desafios associados à transformação digital da economia, vulgo Indústria 4.0, assim como a transição energética e a mobilidade sustentável, colocam atualmente exigências acrescidas aos sistemas de Educação, de Formação e de Ciência & Tecnologia, bem como às empresas e demais organizações, conferindo relevância acrescida à responsabilidade social. O funcionamento integrado e a penetração na cadeia de valor de uma nova plataforma de tecnologias digitais nas empresas e demais organizações provocam mudanças profundas nas estratégias das organizações, nos modelos de negócio, na logística, entre outros.
A forma, o tempo e modo como se aprende, trabalha, compete e coopera estão sujeitos a mudanças profundas. Requerem qualificações e competências mais elevadas, nomeadamente digitais, mas também a nível dos soft skills, fazendo apelo a parcerias orientadas para a qualificação e o emprego, no âmbito das quais as competências possam ser valorizadas, promovidas e monitorizadas. Porventura, os auxiliares em interação cognitiva, o “machine learning”, o “deep learning” e a inteligência artificial estarão cada vez mais presentes na aprendizagem.

Esta nova plataforma de qualificações e competências afigura-se também decisiva para enfrentar as mudanças associadas à transição energética e à descarbonização das economias, onde a problemática das alterações climáticas e a forma de lhes fazer face, assim como a economia circular constituem elementos centrais deste processo. Um novo mix energético depende de múltiplos fatores, nomeadamente do desenvolvimento da mobilidade elétrica (transportes) que provocará um maior consumo de energia elétrica, e de uma elevada penetração das energias renováveis na produção de eletricidade.

Para Portugal, a dimensão dos desafios justifica um compromisso ético e a nível da responsabilidade social, vinculando as empresas (e demais organizações como as da economia social) e os trabalhadores, assim como os centros de saber (escola, universidades, centros tecnológicos, …) e o governo e as suas instituições autónomas, por via das políticas públicas, que deverão desempenhar um papel catalisador. No centro deste compromisso deverá estar necessariamente um objetivo e um processo de qualificação e emprego e de valorização do capital humano, bem como a estratégia associada à transição energética, aliás, em conformidade com os ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, otimizando recursos, promovendo oportunidades existentes, concretizando sinergias entre as várias partes interessadas.

 

inscreva-se
programa

 

 

10ª Convenção da RSO PT – Qualificação, Transformação Digital e Sustentabilidade2019-01-07T18:11:06+00:00